Profissões: Egresso do ITEGO Anápolis obtém sucesso no mercado de trabalho
Matéria publicada em 04/05/2015, às 11:10:17

Ver mais de Edição Fevereiro/Março 2015 N° 131 - Indústria + meio ambiente = sustentabilidade

Ver outras Edições


Num mundo cada vez mais globalizado e competitivo, a logística ganha, dia após dia, mais espaço nas organizações. E foi para atender a demanda das empresas de Anápolis, do Estado de Goiás e do Brasil que o então Centro de Educação Profissional de Anápolis (CEPA) – atualmente Instituto Tecnológico de Goiás (ITEGO Anápolis), instituído pela Lei Complementar Nº109, de 23 de abril de 2014 -  foi criado e passou a ofertar vários cursos. Entre eles, no ano de 2007, teve início o Curso de Logística. Desde que começou suas atividades, o CEPA (hoje ITEGO) tem como parceiro o Porto Seco Centro-Oeste, seja promovendo palestras para os alunos ou abrindo vagas para os egressos dos cursos ofertados.


O superintendente do Porto Seco Centro Oeste, Edson Tavares, diz ser um fervoroso defensor do ITEGO: “Ajudamos na formatação da grade dos cursos e defendemos a existência do ITEGO Anápolis principalmente porque os profissionais  ali formados são de grande importância para as empresas”.
Thiago Lisboa de Faria, de 25 anos (foto ao centro), é um egresso do curso de Logística da ITEGO e trabalha no Porto Seco. Ele concluiu o curso em 2009, trabalha há mais de quatro anos na empresa e já ocupou três funções. Começou como conferente, depois passou a ser analista de logística pleno e atualmente é encarregado de logística.  O encarregado explica que, para conquistar a vaga, teve que passar por um processo de seleção feito pelo Porto Seco e pelo então CEPA. “Éramos 120 alunos nos três turnos. Primeiro houve uma seleção em que foram escolhidos dois de cada turno levando em consideração as notas, a assiduidade, os trabalhos apresentados e o interesse pelo curso”, diz. Thiago explica que, para ser o escolhido entre os seis selecionados para a vaga e ganhar R$ 1 mil como prêmio, os estudantes passaram por exames psicotécnicos e entrevistas. Para o superintendente do Porto Seco, Edson Tavares, Thiago é um bom exemplo de profissional. “Ele é dedicado, tem foco e procura se qualificar. Já foi promovido e tenho certeza que ainda vai subir ainda mais e chegar à função de gerente geral de logística”, destaca.


O papel da logística
O funcionário ganhou a simpatia do patrão de tal forma que, mesmo tendo passado em concurso da Petrobras, preferiu ficar no Porto Seco, onde supervisiona dois setores, o de contêineres e o de veículos. No primeiro, Thiago criou toda a logística de carregamento e de layout. Antes de atuar nessa área, ele supervisionou o setor de minérios e lá também criou um controle específico para saber a eficiência do transbordo no que se refere a peso e tempo, primordiais para cumprir as demandas dos clientes.
Thiago fala com propriedade sobre o papel da logística para as empresas. Segundo ele, ainda faltam investimentos em transporte e na parte operacional. “Há cargas com possibilidade de serem transportadas por ferrovia e que não são por falta de opções, de estrutura e de mão-de-obra qualificada que entenda todo o processo”, atesta. Uma logística malfeita, diz Thiago, faz com que uma empresa tenha até 100% de prejuízo. “O aprendizado adquirido no ITEGO foi de extrema importância para minha carreira. A prática e o dinamismo do curso possibilitaram que eu tivesse uma visão mais eficiente e 90% do que aprendi no curso eu coloco em prática nas atividades que desempenho no Porto Seco”, afirma convicto.

Ver mais de Edição Fevereiro/Março 2015 N° 131 - Indústria + meio ambiente = sustentabilidade

Ver outras Edições

Copyright © 2015 - Todos os direitos reservados.

A Revista Planeta Água é uma publicação mensal da Versátil Consultoria em Direito e Comunicação Social

Rua Benjamin Constant, 2018 - Centro / Anápolis-GO

Telefones: (62) 3311-3489 / 3706-8000