Música: Música goiana - II
Matéria publicada em 29/04/2015, às 12:39:58

Ver mais de Edição Fevereiro/Março 2015 N° 131 - Indústria + meio ambiente = sustentabilidade

Ver outras Edições

N a  antiga capital do Estado, Nhanhá do Couto tornou-se uma espécie de líder dos movimentos culturais e influenciou o ensino da música de piano.  Realizou recitais também em Goiânia. Muito dos seus conhecimentos a artista transmitiu à neta Belkiss S. Carneiro de Mendonça, cuja contribuição com as artes goianas é altamente relevante. Nos primeiros tempos da vida cultural em Goiânia, as irmãs Heloísa e Honorina Barra brilharam com suas modinhas, no Cine Teatro Goiânia. Na época, a pianista Nair de Morais, juntamente com Edméa Camargo, fundou o Coral da Escola Técnica Federal (hoje Centro Federal de Educação Tecnológica). A música crescia em Goiás. O professor Crundwald Costa (Costinha) criou um curso particular de violino e fundou (com seus alunos) uma orquestra. Formou gerações de músicos. Amélia Brandão (chamada Tia Amélia) também ensinava música. Dava aulas de piano. Paralelamente interpretava em rádio e televisão, na época. A pianista Heloísa Barra somou forças com Costinha para criar a Orquestra Sinfônica de Goiânia. 
         
O ensino fundamental de música se consolidou com a instalação, pelo professor Luiz Augusto do Carmo Curado, em 1955, do Departamento de Música da Escola Goiana de Belas Artes. Entre os notáveis professores estavam o maestro, instrumentista e compositor belga Jean François Douliez e as pianistas e professoras Maria Lucy Veiga, Maria Luiza Póvoa da Cruz (Tânia Cruz) e Dalva Maria Pires Machado. Os professores decidem separar-se, em 1956, e fundam o Conservatório Goiano de Música, com o apoio da professora Maria das Dores Ferreira de Aquino.  
         
Começam os anos 60. O conservatório é integrado à Universidade Federal de Goiás. A unidade se destaca por organizar concursos e festivais nacionais de música erudita, com a presença de gente de renome como Camargo Guarniéri e Maria Luiza Priolli. Algum tempo depois a Faculdade de Artes e o Conservatório de Música se fundem e dão lugar ao Instituto de Artes (Faculdade de Artes Visuais da UFG). A música folclórica goiana tem em Ely Camargo sua maior expressão. A artista chegou a comandar durante anos um programa de rádio chamado “Canções de Minha Terra”. Ely nasceu na Cidade de Goiás (antiga capital) e gravou 12 LPs e vários compactos. A  maioria com temas folclóricos. Outro pioneiro da música em Goiás é Estércio Marquez Cunha. Ele nasceu em Goiatuba, fez doutorado em artes musicais nos Estados Unidos. É autor de várias peças, já apresentadas no Brasil e no Exterior. Ele lançou, em maio de 2000, o seu primeiro CD, Lento Acalanto, que reúne canções feitas a partir de 1970 e que são interpretadas por músicos goianos.

Ver mais de Edição Fevereiro/Março 2015 N° 131 - Indústria + meio ambiente = sustentabilidade

Ver outras Edições

Copyright © 2015 - Todos os direitos reservados.

A Revista Planeta Água é uma publicação mensal da Versátil Consultoria em Direito e Comunicação Social

Rua Benjamin Constant, 2018 - Centro / Anápolis-GO

Telefones: (62) 3311-3489 / 3706-8000