O momento é de afirmação de Anápolis como referencial para o Estado de Goiás: Antônio Roberto Gomide
Matéria publicada em 02/08/2011, às 20:04:17

Ver mais de Edição - Junho de 2011 - Anápolis 104 anos: Protagonistas da história de uma cidade modelo

Ver outras Edições

Depois de uma brilhante trajetória como vereador, tendo se destacado na Câmara Municipal ao longo de seus quatro mandatos, o petista Antônio Roberto Gomide venceu as eleições de 2008 e assumiu a Prefeitura de Anápolis respaldado por mais de 80 por cento do eleitorado. Era uma surpresa e uma incógnita para muitos. Sua brilhante atuação como vereador poderia não se repetir como administrador, afinal, até então ele fora apenas legislador e odontólogo. O tempo passou e Antônio Roberto Gomide provou que mais que competência, vocação e preparo profissional, a seriedade, o compromisso e a força do trabalho dedicado podem fazer a diferença. Dois anos e meio depois conseguiu transformar Anápolis, devolver a auto-estima à população e traçar horizontes promissores para uma cidade que havia parado no tempo. Na edição especial dos 104 anos de Anápolis, Antônio Roberto Gomide é o nosso entrevistado.

A aprovação de sua administração registra índices históricos. Isso não aumenta ainda mais a sua responsabilidade, prefeito?

Isso nos mostra que estamos no caminho certo. Vejo com satisfação as respostas das pessoas e da população de maneira geral como um ponto positivo e isso aumenta nossa responsabilidade de podermos, dentro do planejamento, ter ações concretas sempre ouvindo a população mas cuidando para que esse espírito de equipe se mantenha até o final da nossa gestão. Esse é um trabalho planejado, um trabalho de equipe que tem dado certo porque temos escutado a população.

O segredo para se realizar uma administração positiva como a sua estaria em apoios dos governos estadual e federal e da iniciativa privada, na seriedade e no trabalho da equipe ou em tudo isso junto?
Em tudo isso junto. Quando se quer realizar uma gestão séria e pensar uma cidade tão importante como Anápolis é preciso existir o gesto da mão estendida. Em todos os momentos estamos abrindo portas para as pessoas, entidades e instituições que querem nos ajudar, que querem contribuir, que querem o bem da cidade. Não temos diferença de cor partidária, todos os clubes de serviços, igrejas e outras entidades foram visitadas e convidadas para que pudessem estar conosco no pensamento da divisão e estamos abertos para poder desenvolver ações sociais e culturais junto às igrejas, associações comunitárias e associações de moradores. O gesto de poder estar aberto, de poder compartilhar o que nós planejamos, de planejar o orçamento com todos os segmentos é fundamental para que a gente possa, juntos, colher os bons frutos. Hoje não estamos colhendo os frutos apenas da administração; quem está colhendo os frutos de se pensar e trabalhar por uma cidade que é respeitada a nível de estado e a nível nacional são os moradores, são as pessoas que veêm de outras cidades e visitam as pessoas que moram em Anápolis. Nos traz uma satisfação muito grande ver as pessoas falando bem da cidade e essa agenda positiva é fundamental. Essa parceria, essa abertura, esse gesto de podermos buscar apoio nos governos federal e estadual e na comunidade de maneira geral, redunda em uma resposta extremamente positiva porque a cidade hoje tem uma visibilidade maior dentro do estado exatamente porque ela vive um bom momento político e administrativo e também tem havido essa manifestação de ajuda por parte do cidadão e por parte das entidades classistas. Em 2009, por exemplo, realizamos 12 edições do Prefeitura nos Bairros, com reuniões mensais em diferentes regiões da cidade, ouvindo a população e colhendo sugestões. Em 2010 devolvemos essa atenção da população com obras e continuamos a discutir e a ouvir os cidadãos. Agora em 2011 temos uma outra ação, um gesto importante da prefeitura levando ações concretas todo mês a regiões diferentes com ações da prefeitura nos bairros e vilas, não só fazendo os grandes mutirões mas fazendo com que dentro de cada mês tenhamos uma prioridade dentro de regiões diferenciadas da cidade, desde infra-estrutura a áreas como as da saúde, cultura e lazer.

A arrecadação aumentou e há comentários de que pelo momento positivo que Anápolis vive ela iria sozinha adiante, sem administrador...
Se as pessoas se debruçarem sobre os dados do ICMS, do Fundo de Participação dos Municípios e IPTU, que são as três maiores receitas do município, verão que houve aumento constante nos últimos seis ou sete anos. O diferencial em tudo isso é que hoje o recurso que nós temos - e nós gostaríamos de ter mais - está sendo melhor equacionado, com planejamento, estratégia e estabelecimento de prioridades. Hoje temos metas de trabalho em cada secretaria. Hoje a gestão faz a diferença na boa e correta utilização do recurso disponível, seja pouco ou muito. O importante é você fazer com que esse recurso seja revertido para a comunidade e fazer com que a própria comunidade entenda que o imposto que ela paga está chegando perto dela em forma de obras, de ações concretas, de benefícios reais. O importante é fazer com que às vezes uma ação simples seja reconhecida pela comunidade por ser fruto de uma gestão, entendendo que alguém se preocupa com a cidade, que a prefeitura não se omite e nem se esconde atrás de problemas. Sabemos que temos problemas crônicos e demandas antigas, vícios antigos de administrações antigas que precisamos enfrentar. Só o aumento da receita, por si só, não resolve os problemas da cidade.

"Hoje, as decisões de Goiás passam por Anápolis e não tenho dúvida disso"

O Legislativo tem atuado em sintonia com o Executivo sem comprometer a autonomia e a independência?
A Câmara tem respondido à sociedade com independência, com debates, com iniciativas próprias e sempre interessada também em buscar soluções para os problemas da comunidade, cumprindo o seu papel assim como nós estamos fazendo o nosso trabalho procurando manter a harmonia entre os três poderes constituídos. Esse equilíbrio é que faz com que a gente possa ter uma gestão tranquila, política e administrativamente falando.

Uma cidade melhor atrai mais investimentos?
Atrai mais investimentos e faz uma agenda positiva; faz com que nós possamos ter ações concretas e positivas. Hoje, as decisões de Goiás passam por Anápolis e não tenho dúvida disso. Veja: a Ferrovia Norte-Sul deverá entrar em funcionamento em 2012; a consolidação do Aeroporto de Cargas que está sendo feita pelo governo do estado; os modais, principalmente o rodoviário e que estamos fechando a duplicação do anel viário da cidade, são um diferencial de Anápolis; a possibilidade de estarmos ampliando nosso distrito agroindustrial, com as plantas do Pólo Farmacêutico cada vez mais incrementadas; o setor educacional que tem crescido em termos de oferta com atrativos como o Instituto Federal de Goiás (IFG) que é uma escola pública gratuita onde o governo federal investe com cursos regulares já em funcionamento e com formaturas já sendo definidas; a saúde, com Anápolis figurando como um pólo agregador de pelo menos trinta cidades é também um referencial, ou seja, todas essas são demandas que sempre precisam ser colocadas com atenção. Não tenho dúvida que Anápolis hoje é um pólo positivo nas ações das pessoas que querem morar numa cidade com qualidade de vida, onde se tem saúde, onde se tem educação, lazer, onde se tem parques ambientais, então, é fundamental que a cidade esteja nesse equilíbrio, esteja nessa boa agenda porque isso é um atrativo para as pessoas que passam por aqui e percebem que Anápolis, nesses próximos 10 a 15 anos, será a grande cidade desse novo eixo econômico do Brasil. Os novos modais que chegam nessa região irão consolidar uma nova economia nesse eixo do Centro-Oeste e do qual Anápolis é o referencial.
Paradoxalmente os investimentos em segurança não ocorrem na mesma proporção dessa agenda positiva...
Segurança, assim como saúde e educação, são políticas que precisam ser constantemente debatidas com investimentos permanentes. Em Anápolis, mesmo sendo uma prerrogativa do estado, a segurança tem recebido o maior cuidado e o melhor tratamento pela administração municipal. Primeiro é preciso ter um bom relacionamento com o estado para que a gente possa aumentar o efetivo e garantir uma política de segurança dentro da cidade, causando a sensação de segurança e tendo a segurança. Nesse sentido, aumentamos o banco de horas, proporcionando melhores condições de trabalho aos profissionais da Polícia Militar, firmamos convênio com o governo federal e começaremos, neste segundo semestre, a implantação do sistema de vídeo monitoramento nas vias principais da cidade para dar uma maior sensação de segurança à população. Temos condições hoje de dizer que na questão do trânsito, também ligada à segurança, estamos investindo forte para obtermos um desenho perfeito em relação ao plano de mobilidade. A Guarda Ambiental faz a vigilância dos parques e estamos buscando junto ao Programa Nacional de Segurança e Cidadania, do governo federal, os recursos necessários para implantação da Guarda Municipal.

Na questão do transporte o viaduto do trevo do Daia, por exemplo, tornou-se uma novela. A solução não poderia estar numa parceria público privada, com a participação dos governos das três esferas e da iniciativa privada representada pelas 138 indústrias do Daia?
Estou otimista em relação ao viaduto do Daia até porque estou acompanhando a tramitação da minuta desse procedimento junto ao DNIT, em Brasília e a informação é de que teremos condições, ainda no segundo semestre, de dar a ordem de serviço. Como é um procedimento federal não existe demanda de situações nas quais nós, do município, possamos fazer licitações, logo, só nos resta acompanhar e ver o desembaraço do procedimento e, é claro, ajudar junto aos órgãos federais para que a gente possa dar a ordem de serviço ainda no segundo semestre.

Alguns segmentos sonham com um corredor de trânsito na avenida Brasil, com pelo menos seis viadutos, possibilitando aos veículos fazer todo o trajeto, no sentido norte-sul, sem nenhuma interrupção. Tal sonho poderia tornar-se pelo menos projeto até o final do seu mandato?

Na verdade, estamos trabalhando um plano de mobilidade para 2012 que passa, necessariamente, pelo estudo desse eixo norte-sul da avenida Brasil. Temos estudos específicos, inclusive com alguns deles feitos por engenheiros de tráfego da Universidade Nacional de Brasília, que apresentaremos no ano que vem respeitando o prazo estabelecido pelo Plano Diretor para podermos, aí sim, pensar não só a curto prazo com as interferências que já estamos fazendo no dia a dia, mas também pensar a médio e a longo prazo no trânsito da cidade de Anápolis.

Tem sido possível atender a todas as reivindicações dos servidores?
Estamos atendendo sistematicamente tudo o que foi reivindicado em nossa gestão e, primeiro, colocamos o pagamento dos salários em dia, segundo, passamos a pagar dentro do mês trabalhado e, em terceiro lugar, cumprimos fielmente as determinações do Plano de Cargos e Salários dando tranquilidade e condições para que o servidor tenha uma carreira adequada e possa se aposentar dignamente, com um Instituto de Seguridade Social equilibrado, pagando em dia e sendo repassado o dinheiro para o Fundo Previdenciário e, com isso, garantindo sua aposentadoria. Tanto é verdade que os aposentados e pensionistas recebem juntamente com os efetivos. Essa é uma conquista dos servidores e uma grande vitória em nossa gestão que alcançou o equilíbrio financeiro necessário para que o servidor não tivesse nenhum tipo de atraso do seu salário. Por outro lado, esse equilíbrio nos dá condições de estudar e atender, de forma concreta, às demais reivindicações dos servidores como as datas bases aonde temos a recomposição salarial todo ano, como foi feito em 2009 e 2010 e agora, neste mês de julho, estamos repondo aproximadamente 6,5 por cento dos salários que é exatamente o índice inflacionário dentro do ano. Tal procedimento representa, obviamente, uma nova forma de podermos valorizar o próprio servidor, uma forma de não deixar que o servidor passe anos e anos sem qualquer tipo de reajuste.

"O objetivo é continuar buscando parcerias público-privadas para que as ações sejam ampliadas e consigamos reafirmar o diferencial da qualidade de vida"

O Clube do Servidor já não é uma prioridade entre as reivindicações do sindicato da categoria, até porque o momento é diferente. De qualquer forma, temos caminhado na discussão relativa aos direitos dos servidores, principalmente na questão da saúde e todas essas são reivindicações colocadas diariamente sobre as quais temos dialogado sistematicamente. O treinamento do servidores, por exemplo, é uma ação concreta que atende a uma reivindicação da categoria para que pudéssemos, à medida em que criássemos a Secretaria de Administração, estabelecermos a condição de pontuar um curso de formação, não só na área administrativa, mas também em outra áreas que beneficiam os próprios servidores no sentido de que eles possam avançar na sua própria formação. Graças à criação da Secretaria de Administração oferecemos vários cursos em 2009 e em 2010 e é importante que o próprio servidor sinta-se à vontade e atue como um defensor da administração municipal. Esse, hoje, é o diferencial na prefeitura onde o servidor não é inimigo da administração, mas sim um aliado que procura melhorar, cada vez mais, sua prestação de serviços o que resulta em satisfação das pessoas que buscam a administração e lá encontram uma resposta rápida e eficaz de um servidor que é um aliado da nossa administração, um aliado da comunidade.

Com o aumento de investimentos em obras ambientais Anápolis atrai turistas de outras cidades. Esses investimentos ocorrem por essa razão ou também pelo fato de você ser um ambientalista?
As duas coisas. Nossa cidade localiza-se no eixo Brasília-Anápolis-Goiânia que, com certeza até 2014, deverá se consolidar como o segundo maior eixo econômico do Brasil. Os modais estão sendo ampliados e, com a conclusão e funcionamento da Ferrovia Norte-Sul, a ampliação do Porto Seco, a expansão do Distrito Agroindustrial e a consolidação da Plataforma Multimodal, o desenvolvimento de Anápolis é uma realidade e precisamos cuidar da qualidade de vida para termos uma cidade não apenas rica economicamente, mas uma cidade onde também possamos usufruir de locais de lazer, cultura e meio ambiente, com teatros, centro de convenções e parques ecológicos. Esse é o diferencial que podemos ter hoje nesse eixo de mais de seis milhões de pessoas. Esse é o objetivo: viver em uma cidade com grande potencial econômico mas que tenha tranquilidade, tenha segurança, tenha lazer e boas opções no sentido de promover grandes eventos como estamos buscando fazer nas áreas cultural e esportiva, mas também respaldarmos tudo isso, a médio e a longo prazo, com uma quantidade maior de hotéis, estimulando, incentivando e mostrando que Anápolis tem potencial para grandes eventos, com boa infraestrutura hoteleira, parques ambientais e outros atrativos. O objetivo é continuar realizando essas ações a nível de prefeitura e também buscando parcerias público-privadas para que essas mesmas ações possam ser ampliadas e consigamos reafirmar o diferencial da qualidade de vida, ou seja, viver uma cidade que não é  do porte de uma metrópole como Goiânia e Brasília, que não tem os graves problemas das grandes cidades, mas com potencial de lazer, cultura e meio ambiente semelhante ao das grandes metrópoles. Daí a razão de buscarmos essas áreas públicas e privadas para a implantação de mais parques ambientais, proporcionando tranquilidade e lazer à comunidade anapolina que precisa, não só de emprego e renda, mas também de qualidade de vida para viver dignamente com o diferencial de não ter uma cidade tão grande, mas uma cidade com bons serviços de educação e saúde, com parques ambientais e qualidade de vida que outras cidades não conseguiram alcançar por falta de planejamento.

Por falta de planejamento e, em muitos casos, por falta de seriedade. Haveria uma fórmula eficaz de se combater a corrupção no Brasil?
Apostar nas pessoas. Essa seria uma boa fórmula. Precisamos, cada vez mais, encontrar pessoas que queiram trabalhar não pensando apenas no lucro, que queira trabalhar pensando no bem comum, pensando nas pessoas. Hoje estamos na prefeitura e isso é passageiro. Amanhã não estaremos mais. Então o que nós queremos é poder dizer, ao final de nossa gestão, que fizemos bem aquilo que nos foi proposto. O que queremos é dizer que, quando tivemos oportunidade, fizemos para o coletivo e, se possível, entrarmos para a história mostrando que é possível fazer uma gestão olhando a cidade, pensando nos nossos filhos e nossos netos, pensando no futuro.  Nós vamos passar, mas ficará a oportunidade que a população nos deu de poder trabalhar para a comunidade e mostrar que essa página da corrupção, principalmente em Anápolis onde tivemos cassações e intervenções, realmente seja uma página virada e que os próximos gestores possam fazer muito mais do que estamos fazendo.

Em seu projeto político evidentemente está a reeleição. Você já está trabalhando para isso, Antônio?
Tenho ainda um ano e seis meses de administração e estou muito focado na nossa gestão. Obviamente o Partido dos Trabalhadores, ao qual pertenço, está pensando nas articulações até porque existem prazos eleitorais, mas, da minha parte quero cumprir bem aquilo que me foi designado e dizer que ainda não parei. Estou muito focado para que a gente, neste ano de 2011, possa entregar muitos investimentos e muitas obras, tanto na área de parques e na parte de urbanização e pavimentação, com o viaduto e outros avanços, quanto nas áreas de educação e saúde. Temos uma estratégia muito bem definida e um excelente planejamento e estamos centrados, juntamente com a nossa equipe, na entrega de muitas obras para que Anápolis se torne um diferencial dentro da nossa gestão.

Aos 104 anos pode-se dizer que Anápolis é hoje uma cidade que resgatou a auto-estima e a felicidade de sua gente. Qual é a mensagem que você deixa para os anapolinos, Antônio?
Uma mensagem de otimismo. A cidade de Anápolis deu a volta por cima, hoje traz alegria para as pessoas que aqui moram e isso é muito bom. A volta da auto-estima do povo anapolino faz com que essa alegria seja contagiante em outras cidades, então, precisamos dizer que nestes 104 anos muitas pessoas por aqui passaram e muitos prefeitos puderam dar a sua colaboração assim como nós estamos dando a nossa colaboração para uma Anápolis cada vez melhor, sem nos esquecermos de que o momento que estamos vivendo é o momento da afirmação de Anápolis como um referencial para todo o estado de Goiás, tanto na economia, quanto na gestão. Parabéns, anapolinos!

Ver mais de Edição - Junho de 2011 - Anápolis 104 anos: Protagonistas da história de uma cidade modelo

Ver outras Edições

Copyright © 2015 - Todos os direitos reservados.

A Revista Planeta Água é uma publicação mensal da Versátil Consultoria em Direito e Comunicação Social

Rua Benjamin Constant, 2018 - Centro / Anápolis-GO

Telefones: (62) 3311-3489 / 3706-8000