A maternidade na maturidade: Gravidez depois dos 40: difícil, mas possível
Matéria publicada em 13/02/2011, às 20:35:33

Ver mais de Edição Dezembro 2010 - Os invasores somos nós

Ver outras Edições

A gravidez tardia é possível, porém, não é para qualquer uma. "A taxa de fertilidade começa a cair a partir dos 25 anos de idade. Aos 40, ela despenca", afirma o ginecologista. Com a idade avançada, os óvulos também perdem em qualidade. 

Riscos
Quanto mais perto da menopausa, maiores são as chances de haver complicações e problemas para a mãe e para o bebê. "Além da dificuldade para engravidar, há o risco de surgirem miomas, tumores ovarianos e endometriose. Se a mulher sofrer de hipertensão ou diabetes, a gestação pode ser ainda mais complicada", avisa Paulo Gallo, chefe do setor de reprodução humana do Hospital Universitário Pedro Ernesto, da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), que lembra, ainda, a possibilidade de ocorrerem abortos e partos prematuros nessas situações.

Preocupação
Outra grande preocupação alardeada por alguns profissionais é a Síndrome de Down, que é mais comum entre bebês de mães mais velhas. Gallo alerta para o exagero: "Quando a mãe está com 30 anos, a probabilidade de a criança ter a síndrome é de uma em dois mil nascimentos. Para mães com 40 anos, é de cerca de uma em 200. Comparando os dois dados, tendemos a pensar que os riscos são enormes porque são dez vezes maiores.

Mas a ocorrência, de um para 200, ainda é muito pequena", diz o médico.  Quando o assunto é câncer de mama, outro receio das mulheres com mais de 35 anos, Gallo também minimiza os temores: "O que aumenta a probabilidade de se contrair câncer de mama não é a gravidez tardia, e sim o fato de não se ter engravidado antes. Isto porque a gestação confere uma espécie de proteção contra a doença", explica.    

Solange CoutoSolange Couto descobre que será mãe aos 54 anos
A atriz Solange Couto engravidou de seu terceiro filho aos 54 anos. A atriz, que é mãe de um rapaz de 36 e uma menina de 19 anos, não esperava pelo bebê e garante que não fez tratamentos de fertilização para a gestação. Cada vez mais mulheres engravidam tardiamente. Esta tendência de alongamento na faixa etária reprodutiva é um fenômeno que pode ter origens biológicas e culturais. A dificuldade para ter filhos mais cedo ou a vontade de ser mãe depois de atingir estabilidade profissional e financeira estão levando as mulheres a adiar a gestação. Dados da Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida (SBRA) mostram que a porcentagem de mulheres acima de 40 anos que buscam tratamentos para engravidar dobrou de 1990 a 2002, passando de 7% para 14%. Apesar de se preocuparem com sua vida profissional, o sonho de ser mãe não é esquecido - de forma artificial ou naturalmente, elas continuam tentando realizá-lo. O ginecologista Paulo Gallo, atende pacientes entre 35 e 47 anos que pretendem dar à luz. Segundo ele, essa procura está relacionada à nova realidade da mulher: "Antigamente, ela apenas pensava em casar e ter filhos. E a sociedade exigia dela apenas isso, formar uma família.
Hoje, a mulher quer se dedicar aos estudos, à profissão, e, por isso, acaba postergando a gravidez".                                                                                               

Ver mais de Edição Dezembro 2010 - Os invasores somos nós

Ver outras Edições

Copyright © 2015 - Todos os direitos reservados.

A Revista Planeta Água é uma publicação mensal da Versátil Consultoria em Direito e Comunicação Social

Rua Benjamin Constant, 2018 - Centro / Anápolis-GO

Telefones: (62) 3311-3489 / 3706-8000