Você saltaria de um prédio de nove andares?: O poder do impacto de um motorista a 80Km/h, contra o painel do veículo, pode ser comparado à queda do nono andar de um edifício.
Matéria publicada em 16/05/2010, às 13:11:05

Ver mais de Edição Março 2010 - Se cada um fizer a sua parte

Ver outras Edições


A pergunta acima vem sendo apresentada aos participantes dos cursos e palestras sobre segurança no trânsito, ministrados diariamente pela Companhia Municipal de Trânsito e Transportes - CMTT, em Anápolis (GO).
A resposta, invariavelmente, vem em coro e repleta de certeza e indignação: “É claro que não”.

CMTT

Provavelmente, esta foi também a primeira resposta do caro leitor ao se deparar com a pergunta no título desta matéria. No entanto, ao ser interrogado se alguma vez transitou a uma velocidade de 80km/h sem usar o cinto de segurança, o mesmo público responde calmamente que sim.

A incoerência entre as duas respostas, demonstra o desconhecimento acerca das consequências dos acidentes de trânsito, visto que o impacto de um corpo contra o solo ao cair de uma altura de nove andares é exatamente o mesmo que ele sofrerá ao bater contra o painel do automóvel durante a colisão a uma velocidade de 80km/h.
Vale salientar que o exemplo acima considera o choque de um veículo contra um objeto fixo. Tratando-se de colisão frontal com outro veículo em movimento, o impacto será equivalente à soma das duas velocidades.

Neste caso, estando o segundo veículo também a 80km/h a força do impacto será de 160km/h. As partes mais atingidas são a cabeça, o tórax e o abdomen, provocando traumatismo craniano e hemorragias internas. No entanto, diferente do choque contra o solo no caso da queda livre, o choque contra as partes internas do automóvel durante a colisão pode ser evitado com a utilização do cinto de segurança.

Este equipamento impede também que motorista e passageiros sejam atirados para fora do veículo, aumentando ainda mais as chances de sobrevivência.
Outro dano muito frequente e que pode ser evitado pelo cinto de segurança é a lesão da coluna cervical dos ocupantes dos bancos dianteiros quando são atingidos pelos passageiros do banco de trás, sem o cinto de segurança, atirados sobre eles durante a colisão.

As estatísticas de acidentes mostram que 70% das mortes no trânsito poderiam ter sido evitadas se as vítimas usassem o cinto de segurança. Como se pode perceber, deixar de usar o cinto equivale equilibrar-se sobre o pára-peito de um edifício.
Você se arriscaria? De qualquer forma, vale lembrar que o trânsito não é um jogo de sorte ou azar e sim uma relação de causa e consequências. Glauce Kelly Ferreira - Educação de Trânsito - CMTT.


Por Glauce Kelly Ferreira - Educação de Trânsito - CMTT



DICAS PARA A UTILIZAÇÃO CORRETA DO CINTO DE SEGURANÇA

01. O cinto deve ser regulado de forma a passar pelo ombro e o tórax e nunca pelo pescoço;
02. A parte inferior deve passar por baixo do abdomen e não sobre ele;
03. Evite canetas ou outros objetos perfurantes nos bolsos sob o cinto;
04. Exija que todos os ocupantes do veículo utilizem o cinto de segurança;
05. Menores de 10 anos devem ser conduzidos no banco traseiro;
06. Crianças menores de 7 anos devem usar o sistema de elevação do banco;
07. Menores de 4 anos devem ser conduzidos nas cadeirinhas e os menores de 1 ano em cestinhos (bebê conforto).

Ver mais de Edição Março 2010 - Se cada um fizer a sua parte

Ver outras Edições

Copyright © 2015 - Todos os direitos reservados.

A Revista Planeta Água é uma publicação mensal da Versátil Consultoria em Direito e Comunicação Social

Rua Benjamin Constant, 2018 - Centro / Anápolis-GO

Telefones: (62) 3311-3489 / 3706-8000