Uma nova vida com as orquídeas: O encanto e a magia de uma das flores mais apreciadas pela humanidade.
Matéria publicada em 14/05/2010, às 19:52:23

Ver mais de Edição Março 2010 - Se cada um fizer a sua parte

Ver outras Edições

Luzinete Santana e Vanércia Moreira em uma das inúmeras exposições do Orquidário Vida Nova
Acesse o site do Orquidário Vida Nova em www.orquidariovidanova.com.br

O fascínio que as orquídeas exercem  é incomparável.
Nenhuma outra planta agrega em torno de si um número tão grande de apaixonados adeptos. Tornar-se um orquidófilo é um desafio facilmente coroado de êxito.
Com seu colorido e perfume, a delicadeza acetinada das pétalas ou a tênue rugosidade das folhas, as orquídeas trazem  para nós um grande encanto e o frescor da natureza. Para cultivá-las basta ter conhecimento dos  princípios de cultivo e um pouco de criatividade.

Luz: Deve-se evitar a exposição direta dos raios solares fortes. Aqueles mesmos raios que são prejudiciais à saúde do ser humano.

Ventilação: As orquídeas são adaptadas à presença de uma brisa suave e constante. Devem estar em local arejado e com circulação de vento.


Rega: Os vasos grandes retêm mais água que os pequenos e, por isto, os pequenos devem ser regados com mais frequência. As orquídeas mantidas em posição vertical como, por exemplo, em placas de fibra de coco, troncos de árvore ou em estacas devem ser regadas com mais frequência.
Em geral, o ideal é regar de duas a três por semana. Nunca se deve deixar pratos que acumulam água. Lembre-se que a orquídea prefere pouca água a receber água em demasia.
Nunca molhe as plantas quando as folhas estiverem quentes pela incidência de luz solar. Molhe pela manhã ou no fim da tarde, quando o sol estiver no horizonte.
Se precisar molhar durante o dia, espere uma nuvem cobrir o sol por cerca de 10 minutos para que as folhas esfriem. Somente então,  regue-as, pois umedecê-las é extremamente benéfico. Mas não encharque o vaso, pois as raízes podem apodrecer.

Adubação: Os nutrientes para as orquídeas são basicamente os mesmos de outras plantas, como Nitrogênio, Fósforo e Potássio (NPK).  É recomendável que seja usado um fertilizante próprio para orquídeas que contenha micronutrientes específicos para esse tipo de planta. Os adubos podem ser granulados, em pó ou líquidos, orgânicos ou inorgânicos. Todos têm efeitos semelhantes, mas alguns ajudam a conservar o xaxim por mais tempo. Para uma boa adubação deve-se seguir as instruções contidas nos frascos.


Substratos: As orquídeas podem ser plantadas em vários materiais, tais como: fibra de coco, (pinus, casca de peroba), carvão vegetal virgem e sem o pó, toquinho de madeira ou a mistura de vários deles. É importante lembrar que todos devem estar limpos e esterilizados. Para facilitar a drenagem da água, o vaso deve ser preenchido até a altura correspondente a 1/3 dele, com cacos de cerâmica ou telha (devidamente limpos).
Para vasos plásticos pode ser usada pedra britada, por ser mais pesada e ajudar no equilíbrio do vaso quando  estiver florido. A planta poder ser sustentada com uma estaca de arame, bambu ou palito até que esteja bem enraizada.


 

Ver mais de Edição Março 2010 - Se cada um fizer a sua parte

Ver outras Edições

Copyright © 2015 - Todos os direitos reservados.

A Revista Planeta Água é uma publicação mensal da Versátil Consultoria em Direito e Comunicação Social

Rua Benjamin Constant, 2018 - Centro / Anápolis-GO

Telefones: (62) 3311-3489 / 3706-8000