Natureza invadida: Construções como as de Angra dos Reis invadem espaços que deveriam ser meramente contemplativos
Matéria publicada em 24/03/2010, às 11:08:24

Ver mais de Edição Dezembro 2009 - A invasão dos parques

Ver outras Edições

Ao invadir espaços que naturalmente deveriam pertencer aos seres da fauna e da flora o homem provoca desequilíbrio ambiental e compromete o futuro da Terra. A ocupação desordenada de áreas de preservação ambiental, como as faixas de matas ciliares, desrespeitando a distância prevista por lei, reflete a falta de consciência ambiental dos invasores e a omissão ou conivência das autoridades constituídas que na maioria dos casos faz vistas grossas para o problema. A invasão ocorre nas pequenas, médias e grandes cidades e também no campo e os resultados são cada vez mais catastróficos. Investimentos em educação ambiental, fiscalização eficiente e punição rigorosa para os infratores é o mínimo que se poderia fazer de imediato para, pelo menos, minimizar as consequencias da invasão da natureza pelo considerado o mais inteligente dos animais.

Deslizamentos
Fenômeno provocado pelo escorregamento de materiais sólidos, como solos, rochas, vegetação e/ou material de construção ao longo de terrenos inclinados, denominados de “encostas”, “pendentes” ou “escarpas”, os deslizamentos em morros urbanos veem ocorrendo com uma frequência alarmante nos últimos anos, principalmente devido ao crescimento desordenado das cidades, com a ocupação de novas áreas de risco pela população mais carente, assim como por construções milionárias, notadamente em regiões de grande potencial turístico.
Há que considerar três fatores de influência na ocorrência dos deslizamentos:
Tipo de solo - sua constituição, granulometria e nível de coesão;
Declividade da encosta - cujo grau define o ângulo de repouso em função do peso das camadas, da granulometria e nível de coesão;
Água de embebição - que contribui para aumentar o peso específico das camadas, reduzir o nível de coesão e o atrito, responsáveis pela consistência do solo e lubrificar as superfícies de deslizamento.

Os mais atingidos
A época de ocorrência dos deslizamentos coincide com o período das chuvas intensas e prolongadas, visto que as águas escoadas e infiltradas vão desestabilizar as encostas. Nos morros, os terrenos são sempre inclinados e, quando a água entra na terra, pode acontecer o deslizamento e a destruição das casas que estão embaixo. Os escorregamentos em áreas de encostas ocupadas costumam ocorrer em taludes de corte, aterros e taludes naturais, agravados pela ocupação e ação humana. A distribuição geográfica de escorregamentos no Brasil afetado mais os Estados de Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Bahia, Sergipe, Alagoas e Pernambuco. Os deslizamentos são responsáveis por inúmeras vítimas fatais e grandes prejuízos materiais.

Ver mais de Edição Dezembro 2009 - A invasão dos parques

Ver outras Edições

Copyright © 2015 - Todos os direitos reservados.

A Revista Planeta Água é uma publicação mensal da Versátil Consultoria em Direito e Comunicação Social

Rua Benjamin Constant, 2018 - Centro / Anápolis-GO

Telefones: (62) 3311-3489 / 3706-8000